Parágrafos de uma vida

Se fosse para fazer algo que nunca fiz ou escolher uma idade para voltar, acho que seria a infância, por experiências que me fazem ainda hoje ser menina. Hoje, já uma mulher, percebo que ainda me falta algo, como aquele namoradinho da adolescência ou aquela amiga – que toda menina tem – que apoia, coisa que eu não consegui ter. Talvez a minha memória tenha tido momentos bons, algo escapou e, na época, talvez pelas dificuldades, não percebia. Hoje sinto falta do que não tive e me pergunto e se… se algum parêntese, como esses que citei, tivesse sido diferente, talvez eu não sentisse
desejos. A falta de algo não me faz menos mulher, mas me faz sentir que nunca vou poder realizar sonhos a curto e longo prazo. Me sinto triste por não poder ter sido mais exigente em muitas escolhas da vida. A vida muda, a história se bagunça, as lembranças ficam.
Mas, em algum momento, encontramos a peça que falta, sabe? Fico pensando o quanto a minha história é linda, acho que quero lembranças para deixar para os que virão e uma linda bagagem para contar a minha história pelas calçadas desta cidade, viralizar.
Eu não sei o que quero, só sei que desejo minha cama quente, a Maria, correndo pela casa e o Amadeu nos meus braços; e, no final do dia, uma uma taça de vinho…
Quero poder ter a minha família, quero explorar tudo que há de bom, mas logo percebo que é um sonho, igual ao de ter tido um namoradinho na adolescência ou uma amiga para rir e chorar junto. Talvez seja sexo que esteja faltando ou uma boa conversa ou vai ver até isso tiraram de mim, algumas oportunidades que só vejo em sonhos mesmo.

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s